Entrevista - Ronaldo Arakaki - Konica Minolta

Entrevista - Ronaldo Arakaki - Konica Minolta

A Konica Minolta possui um trabalho intenso no mercado brasileiro e vem conquistando market share através de instalações de equipamentos por todo o Brasil. A qualidade das soluções se reflete nas premiações recebidas pelos clientes Konica Minolta. Na entrevista para a ExpoPrint Digital, Ronaldo Arakaki, gerente geral da Konica Minolta Business Solutions do Brasil, fala do trabalho promovido para alcançar a liderança no IDC, das soluções e estrutra da Konica no país.

1 - Como foi receber a notícia da manutenção/ampliação da liderança neste segmento pelo IDC?

Realmente, foi gratificante. Nosso time tem trabalhado bastante para levar nossa mensagem corporativa e nossa tecnologia aos clientes de todo o Brasil, e, agora, os dados do IDC confirmaram o sucesso desse trabalho. Obviamente que, a partir de então, temos que aumentar nossos esforços para nos mantermos à frente. Mas tenho confiança de que, tanto nossa equipe de vendas, como o staff técnico, estão preparados para enfrentar, com competitividade, novos desafios que possam surgir.

2 - Como foi o trabalho durante o ano de 2016 para chegar a este resultado?

Tentamos enxergar oportunidades na crise. O mercado gráfico passa por profundas mudanças, e isso já acontecia antes de a oscilação econômica chegar ao Brasil. Tal fato se explica pela evolução tecnológica. De um lado, há a internet e suas ferramentas atraentes para o marketing e comunicação; de outro, a mídia impressa assiste às tiragens caírem dia a dia, ao mesmo tempo em que a presença dos equipamentos digitais cresce. Acho que boa parte de nosso sucesso passa por termos ouvido o mercado e estudado tendências; termos ouvido o que nossos clientes estavam precisando e feito propostas assertivas em termos de tecnologia e negócios. Afinal, mesmo em tempos de crise, não se pode parar de investir. Mesmo porque, a crise passará, e, quando isso acontecer, as empresas gráficas que estiverem mais bem preparadas irão se destacar.

3 - Qual foi o produto de destaque no portfólio da Konica Minolta que mais ajudou a empresa a alcançar esta liderança?

Posso citar alguns, mas realmente a bizhub PRESS C1100 tem uma participação interessante, porque lançou, com sucesso, nossa marca em um segmento de impressão digital para o qual ainda não tínhamos equipamentos no Brasil, que é o de alta produtividade, para até 100 páginas/hora.

4 - Nos últimos três anos, a Konica Minolta participou da ExpoPrint Digital. O quanto a participação na feira ajudou a empresa a alcançar esta liderança?

Feiras de caráter internacional, como a ExpoPrint Digital, sempre são importantes. Em um país continental como o Brasil, não se tem muitas oportunidades de ter contato direto com os clientes; as feiras propiciam isso, permitem que troquemos informações e experiências com profissionais com poder de decisão em suas empresas, formadores de opinião ou proprietários de gráficas.

5 - Falando de 2017, a empresa lançou mais novidades na feira. Como vem sendo o feedback dos clientes em relação aos equipamentos?

Fizemos várias prospecções na feira deste ano e anunciamos negócios. A AccurioPRESS C2070P, que foi nosso lançamento, chamou bastante a atenção dos profissionais que compareceram ao nosso stand, principalmente, por se tratar de um equipamento que oferece performance confiável e qualidade, sobretudo, para gráficas que estão habituadas com a tecnologia offset e descobrem oportunidades ao trabalharem com a tecnologia digital com formatos e mídias diferenciados, ganhando flexibilidade no leque de produtos ofertados a seus clientes.

6 - Recentemente, a Konica Minolta anunciou que a Milsul fará parte integral agora da empresa. Qual a importância desta mudança para a evolução da empresa no país?

A importância é, basicamente, estratégica. De fato, a Milsul se tornou Konica Minolta Business Solutions do Sul em janeiro de 2015. O que realizamos em maio deste ano foi a incorporação desta pela Konica Minolta Business Solutions do Brasil. Efetivamente falando, com esta reestruturação, expandimos a capilaridade de atendimento, vendas e suporte. Em um país com o tamanho do Brasil, com tantas diferenças regionais, isso é fundamental.

7 - A Konica Minolta enxerga uma melhoria no cenário da indústria de impressão em 2017? O quão importante é para o empresário do setor aproveitar este momento para investir?

Acredito que o empresário gráfico (assim como a indústria) está passando por uma fase de transição do analógico para o digital, compreendendo como e quando usar cada tecnologia, como implementar com sucesso estratégias de marketing direto... Também está mudando a forma de pensar o seu negócio, planejar sua lucratividade e formas assertivas de investimento nos meios de produção. Essa maturidade virá com o tempo, e já podemos sentir sinais positivos em 2017. De um lado, temos o trabalho que vem sendo desenvolvido por fornecedores, como a Konica Minolta, que trabalha para estar ao lado dos clientes, ajudando-os a perceber oportunidades de negócios que podem ser viabilizadas com nossos equipamentos; de outro, temos eventos como a Drupa e ExpoPrint, que ajudam na disseminação de informações e na educação do mercado.

Leia mais



Mais notícias